21 de novembro de 2017

Hazard





Houve um tempo de paz
A paz se mudou daqui
Zelou por nós e se cansou
Alçou vôo em Fevereiro
Riscou o céu de cinza e
Durante dias o fez chorar.




Francielly Caroba
[Direitos autorais reservados lei 9.610 de 19/02/98]

9 de novembro de 2017

Passou tanto tempo na escuridão




Passou tanto tempo na escuridão
que agora a luz te cega...
Não enxerga o anjo
que lhe deita sobre o ombro...
Não reconhece as palavras amigas,
apenas desconfia da energia
que lhe estende a mão...
E em desespero, paranoia,
deu um tapa na face
da alma com a qual se casou...
Pede perdão, mas é tarde,
o jarro já lhe escorregou das mãos.
Você partiu seu anjo em pedaços!





Francielly Caroba
[Direitos autorais reservados lei 9.610 de 19/02/98]

25 de outubro de 2017

Valete



A tua presença
me conforta
do mesmo modo que
me apavora

O único nome
no meu coração

As minhas horas
são contadas
cada uma
já reservada

A única voz
na minha cabeça

Entre reis e coringas
a minha atenção
é prisioneira
de um valete

A única carta
no meu baralho



Francielly Caroba
[Direitos autorais reservados lei 9.610 de 19/02/98]

13 de outubro de 2017

Ainda vivo





A minha mente não se dispersa,
Mas o mundo se dispersa de mim

Toca, toca, ninguém atende
Bate, bate, todos ausentes...

A minha voz não se propaga,
Mas as mentiras se espalham

Avisa, avisa, ninguém ouve
Pede, pede, todos negam...

O meu tempo está se esgotando,
Mas a vida me concede hora extra

Corre, corre, não chega nunca
Morre, morre, ainda vivo...




Francielly Caroba
[Direitos autorais reservados lei 9.610 de 19/02/98]

3 de outubro de 2017

3 de Outubro




E aos poucos,
Conforme a tarde
Vai se despindo,
Em mim tudo
Vai se acalmando,
Desiludindo,
Ganhando tom
E perdendo cor,
Tudo bem,
Bem mais simples,
Preto, branco, cinza,
Monocromática eu vejo melhor
Que hoje ainda é o terceiro dia,
Vamos deixar o descontrole
Pra depois, afinal
Outubro acabou de começar...




Francielly Caroba
[Direitos autorais reservados lei 9.610 de 19/02/98]

13 de setembro de 2017

Caulim






Cinge o medo em cada um de seus pedaços,
Aplicam-se ilusões furtivamente como calmantes.
Um desejo lhe quebra antes do final,
Lascas se espalham por todos os espaços.
Imagem partida em raiva delirante
Mistura o que foi sonho e o que é real.





Francielly Caroba
[Direitos autorais reservados lei 9.610 de 19/02/98]

25 de agosto de 2017

Tantos, tantos




São tantos tombos
Tantos hematomas
Que cada roxo
Pode contar sua própria história

São tantos desvios
Tantos atrasos
Que cada suspiro
Pode conter mil lamentos

São tantos versos
Tanta poesia
Que cada poema
Pode ter mais de uma inspiração



Francielly Caroba
[Direitos autorais reservados lei 9.610 de 19/02/98]